sexta-feira, 24 de março de 2017

Alice Portugal: Golpe contra o trabalhador



A aprovação da terceirização de todas as áreas das empresas (PL 4302/98), em votação no Plenário da Câmara dos Deputados, representa o avanço de uma proposta ultrapassada que estimula o subemprego, a precariedade das relações trabalhistas e a rotatividade de mão de obra. Estima-se que o Brasil poderá chegar a 52 milhões de terceirizados, empregados em piores condições de trabalho. O texto que vai à sanção presidencial teve o apoio decisivo do golpista Michel Temer.
Outro ponto prejudicial do projeto é facilitar o aumento das contratações temporárias por meio de uma mudança conceitual na legislação. Permite inclusive que esse expediente se torne rotina entre trabalhadores rurais. Hoje já há grande vulnerabilidade no campo.

quinta-feira, 23 de março de 2017

STF suspende programa inspirado no Escola sem Partido em Alagoas



“É tão vaga e genérica que pode se prestar à finalidade inversa: a imposição ideológica e a perseguição dos que dela divergem. Portanto, a lei impugnada limita direitos e valores protegidos constitucionalmente sem necessariamente promover outros direitos de igual hierarquia”, argumentou Barroso.
A lei, copiada do texto base do projeto Escola sem Partido, foi questionada por meio da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5537, proposta pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (Contee). A norma propõe que sejam afixados cartazes em salas de aula com deveres do professor. Entre outros pontos, a lei estabelece “educação moral livre de doutrinação política, religiosa e ideológica”, proíbe “condutas que imponham ou induzam nos alunos opiniões político-partidárias, religiosas ou filosóficas”, e que o professor incite “seus alunos a participar de

Operação Carne Fraca já causa prejuízo de US$ 63 milhões por dia



A queda vertiginosa foi verificada menos de uma semana após a Polícia Federal deflagrar a Operação Carne Fraca, que apura suspeitas de pagamento de propinas a fiscais agropecuários por parte de frigoríficos nacionais para burlar a fiscalização sanitária em indústrias do setor de proteína animal.
A queda nas exportações decorre da suspensão de importação de carnes brasileiras por diversos países como Japão, China, Chile e União Europeia. Nesta quarta-feira (22), a África do Sul também anunciou a suspensão da importação de carnes brasileiras.
Em, 2016, o setor de proteína animal brasileiro ocupou o segundo lugar na pauta de exportações, com US$ 14,210 bilhões. O setor ficou atrás apenas das exportações de soja e derivados, que foi da ordem de US$ 25,418 bilhões. A participação das carnes na pauta de exportações nacional foi de 16,73%.
Fonte: Brasil 247

FUP culpa gestão de Parente por prejuízo da Petrobras: "entreguista"



"A estatal registrou lucro operacional de R$ 17,1 bilhões e continua batendo recordes de produção (...) No entanto, amargou perdas de R$ 14,8 bi, decorrentes da política deliberada da atual gestão de reduzir o tamanho da companhia, despejando no mercado ativos nobres com valores depreciados. Não fossem os 'impairments'[, a empresa teria registrado lucro, em vez de prejuízo", escrevem os petroleiros.

Terceirização total atende apenas a interesses empresariais



Alysson de Sá Alves
Parlamentares da oposição levam pato símbolo da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo: “Não vamos pagar o pato da Fiesp”
Ficou a cargo do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, acelerar a votação do PL 4302, deixando em segundo plano o PL 6787, da reforma trabalhista de Temer. Iniciativa que estabelece que a negociação coletiva terá mais valor do que os direitos estabelecidos em lei. Maia prometeu votar em abril a trabalhista.
Criticado pelas centrais, que se posicionaram unanimemente contra, o PL 4302 foi aprovado em plenário pelo parecer do relator Laércio Oliveira (SD-SE). O parlamentar manteve o substitutivo aprovado pelo Senado recuperando o texto original da Câmara, que estende a terceirização para todas as atividades de uma empresa, incluindo a atividade-fim. No Senado, esse ponto havia sido excluído.

BUSCA MERCADO LIVRE