segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Os trabalhadores e o segundo turno das eleições

Por Nivaldo Santana* Carol Caminha
No próximo dia 28 de outubro será realizado o segundo turno das eleições para presidente da República e para governadores em treze estados e no Distrito Federal. Na eleição presidencial, 147,3 milhões de eleitores estão aptos para definir quem vai conduzir o país nos próximos quatro anos. A disputa se dará entre dois projetos distintos, um representado pelo candidato do PSL, Jair Bolsonaro, e outro pela coligação liderada pelo PT/PCdoB, Fernando Haddad e sua vice-presidenta, Manuela D’Ávila.

Diante desta batalha decisiva para o futuro do Brasil e dos trabalhadores, a quase totalidade do movimento sindical brasileiro decidiu apoiar a candidatura de Fernando Haddad. Essa decisão foi divulgada no dia 10 de outubro passado, nos marcos de um Encontro da chapa Haddad/Manu com lideranças das sete principais centrais sindicais (CUT, UGT, CTB, Força Sindical, NCST, SSB e Intersindical).

Flávio Dino: "É papel de todo democrata esperar debate de conteúdo"

Foto: Karlos Geromy 
O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), destacou a necessidade de haver debate entre os presidenciáveis para eles responderem a questionamentos sobre suas propostas de governo para o país. “É papel de todo democrata esperar debate de conteúdo”, frisou em entrevista à Rádio Timbira nesta segunda-feira (15).
Para Flávio Dino, desde o domingo do primeiro turno das eleições, o debate tem sido apenas sobre o que é mentira e o que é verdade. “É uma eleição feita nos termos de violência e fake news. É uma eleição que não permite o esclarecimento adequado”. Em sua visão, é preciso questionar os candidatos à Presidência da República sobre as suas propostas de governo.
“Acho importante perguntar, você é a favor ou contra o Minha Casa, Minha Vida? Você é a favor ou contra o SUS? Como que você vê a relação dos estados com os municípios? Nada disso está sendo discutido, e isso faz com que acabemos por empobrecer a democracia do nosso país”.
Em quase uma hora de entrevista, o governador reeleito no primeiro turno no Maranhão tratou sobre outros assuntos.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Nota PCdoB Ilhéus – Eleições 2018


Obrigado Ilhéus. Seguiremos na Luta por democracia, desenvolvimento e oportunidade para todos.
Mesmo em um cenário nacional muito difícil, as forças democráticas da Bahia celebraram uma grande vitória eleitoral no último domingo (7), dando grande votação a Fernando Haddad, reelegendo o governador Rui Costa com ampla vantagem, os senadores Wagner e Ângelo Coronel, além de ampliar as bancadas federal e estadual, demonstrando o forte nível de reconhecimento do povo baiano ao grande trabalho desenvolvido pelos governos de Lula e Dilma, Wagner e Rui, na promoção de desenvolvimento econômico e social para o povo de nosso estado.
O PCdoB também teve uma grande vitória, elegendo nosso presidente estadual, Davidson Magalhães, primeiro suplente do senador Ângelo Coronel; reelegendo Alice Portugal e Daniel Almeida para a Câmara Federal, ainda aguardando decisões judiciais que podem resultar em uma terceira cadeira, ultrapassando os trezentos mil votos; e reelegendo os três deputados estaduais, Fabrício, Bobô e Zó, ainda ampliando a bancada com a eleição de Dal e Olívia Santana, totalizando mais de meio milhão de votos em uma chapa própria de valorosos candidatos e candidatas.

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Ciro diz que, no segundo turno, "ele não, sem dúvida"

O candidato à Presidência da República Ciro Gomes (PDT) sinalizou, logo na noite deste domingo (7), que apoiará Fernando Haddad (PT) no segundo turno, contra Jair Bolsonaro (PSL). Logo após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), confirmar que ele havia ficado em terceiro lugar na disputa, Ciro agradeceu a sua expressiva votação e declarou: "Ele não, sem dúvida", numa referência ao movimento contra a postulação do militar da reserva.
Afirmando representar um conjunto de forças, ele preferiu não oficializar desde já o seu posicionamento no segundo turno. Mas disse que seu instinto pessoal é o de lutar contra o fascismo.
"Costumo decidir as coisas assim, mas é que agora eu represento um conjunto muito grande de forças. Então eu quero anunciar por mim, o meu espírito é continuar fazendo o que eu fiz a minha vida inteira: lutar em defesa da democracia e contra o fascismo. Ele não, sem dúvida", declarou.

terça-feira, 25 de setembro de 2018

OAB repudia agressão às mulheres em ato de Bolsonaro


A Comissão da Mulher Advogada (CDMA) da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Pernambuco, manifestou seu profundo repúdio a uma das músicas cantadas neste domingo (23) durante a “Marcha da Família” do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro, que aconteceu no bairro de Boa Viagem, na cidade do Recife. A letra, entoada em coro, afirmava que às feministas deve ser dada “ração na tigela” e que as mulheres “de esquerda têm mais pelo que cadela”.
Segundo a nota assinada pela Presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB-PE, Ana Luiza Mousinho, "os estarrecedores trechos da música acima transcritos reduzem as mulheres à condição análoga de seres irracionais e incitam o ódio, a violência e o preconceito contra aquelas que se reconhecem feministas e/ou que têm orientação política diversa do aludido candidato".
"Em tempos em que, a cada dois segundos, uma mulher é vítima de violência física ou verbal no Brasil, segundo dados do Relógios da Violência do Instituto Maria da Penha, não se pode admitir que, sob o manto da liberdade de expressão, qualquer partido político, seja ele de direita ou de esquerda, ofenda publicamente uma coletividade de mulheres, reforçando a cultura machista e misógina que, infelizmente, ainda insiste em matar muitas mulheres todos os dias", finaliza o texto.

BUSCA MERCADO LIVRE