quinta-feira, 19 de abril de 2018

Participação popular confirma pré-candidatura de Jairo Araújo



A chuva que caia na manhã do último domingo (15), em Itabuna, não impediu que pessoas de diversos bairros e municípios, fossem ao lançamento da pré-candidatura de Jairo Araújo, deputado estadual, no Recanto dos Comerciários.
O evento também contou com a participação do presidente estadual do PCdoB, deputado federal e candidato à reeleição, Davidson Magalhães, além da participação expressiva de trabalhadores, lideranças populares, militantes, amigos e familiares, que manifestaram apoio à candidatura.
A relevância da pré-candidatura de Jairo Os discursos de quem estava ali, destacavam a trajetória do vereador por dois mandatos, e agora pré-candidato a ocupar uma vaga na Assembleia Legislativa da Bahia. “A região precisa de um representante que corresponda às suas necessidades. Jairo tem uma trajetória de luta em defesa da classe trabalhadora, da cidade de Itabuna, da região e do país, e sua eleição para a Assembleia Legislativa trará grandes conquistas”, afirmou Davidson Magalhães.
Para Jairo, a candidatura tem como objetivo promover um grande debate com povo. “Esta eleição diz respeito a cada um de nós e irá definir o destino desse país. Na condição de pré-candidato a deputado estadual, tenho o compromisso de andar cada rua, cada cidade, para dialogar com a população sobre a necessidade de construir uma sociedade com justiça social, amor ao próximo, fraternidade e solidariedade” afirmou. Em seu discurso, Jairo destacou que, mesmo vivendo num permanente “salve-se quem puder”, não se deve perder a capacidade de se indignar com as injustiças que ainda imperam no país. “Não podemos aceitar que o Brasil seja campeão de violência contra as mulheres; não podemos aceitar o genocídio da juventude negra de nossas periferias; não podemos aceitar o crescimento do desemprego produzido por este governo ilegítimo de Michel Temer”, protestou.
Manifestações de apoio
Durante o evento eram exibidos vídeos das atividades desenvolvidas por Araújo na Câmara de Vereadores. Entre eles, denúncias, sessões especiais e aprovação de leis. “Jairo é de palavra” “Ele me representa” foram as palavras mais ditas pelo público. Um encontro de forte conteúdo político, em defesa da democracia e da importância das eleições de outubro para o futuro do Brasil.
Num dos momentos mais marcantes do ato político, a mãe de Jairo Araújo, Dona Maria José, usou do microfone para compartilhar lembranças de tempos difíceis no passado. Muito emocionada, ela ressaltou as qualidades do filho. “Fui empregada doméstica e ele ia comigo me ajudar. Sempre trabalhador e honesto! Um filho que muito me honra”, relatou. A plateia aplaudiu de pé.
Jairo agradeceu a presença de todos e todas e fez o chamamento para a batalha que se avizinha. “Será uma batalha dura, mas é possível vencê-la com a participação do povo”, convocou.
Andreyver Lima

segunda-feira, 19 de março de 2018

PCdoB de Ilhéus realiza ato de filiação de Cipá e aponta sua pré-candidatura a deputado estadual



O comitê municipal do PCdoB de Ilhéus realizou, na manhã desta segunda-feira (19), o ato de filiação do ex-vereador e auditor fiscal aposentado, Paulo Roberto Pinto Santos, mais conhecido como Cipá, no Ilhéus Praia Hotel, centro da cidade. O evento contou com a presença do deputado federal e presidente estadual do partido, Davidson Magalhães, que definiu o novo filiado como “uma pessoa integra e de grande representatividade política”.
Em breve, Cipá lançará sua pré-candidatura para disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa da Bahia. Para Josenaldo Cerqueira, presidente do PCdoB de Ilhéus, “a filiação de Cipá é importante, tem um grupo consolidado na cidade, alinha ao objetivo do partido em seu processo de ampliação e reforça a base no município”.
De acordo com Cipá, “o deputado federal e presidente do PCdoB na Bahia, Davidson Magalhães, nos ofereceu o espaço, e nós, com muita honra, estamos ingressando no partido para atender suas questões programáticas, em especial a todos os interesses do povo da região”.
Participaram do encontro dirigentes partidários, como Cláudio Magalhães e Rodrigo Cardoso (PCdoB), os ex-vereadores João Moura Costa e Dr. Jó (ex-presidente da Câmara); lideranças locais: Gildo Pinto, Cobrinha, Bosco, Almerindo, Marcos Bandeira, Socorro Pastor, entre outras.
(Fonte: Secretaria de Comunicação - PCdoB / Ilhéus)

Afrânio: Ataque de juíza contra Marielle "é ideológico"


Por Dayane Santos
“A questão é que a tal Marielle não era apenas uma ‘lutadora’, ela estava engajada com bandidos! Foi eleita pelo Comando Vermelho e descumpriu ‘compromissos’ assumidos com seus apoiadores. Ela, mais do que qualquer outra pessoa ‘longe da favela’, sabe como são cobradas as dívidas pelos grupos entre os quais ela transacionava”, disse a desembargadora comentando a postagem feita pelo advogado Paulo Nader.
Por se tratar de uma desembargadora, seu comentário ganhou repercussão e diversas personalidades se manifestaram sobre o assunto condenando a conduta da magistrada.
O PSOL, legenda de Marielle, anunciou que irá entrar com uma representação contra a desembargadora no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), além de uma ação criminal por calúnia e difamação.
Com o dever profissional de conhecer e respeitar os princípios constitucionais, Marília disse ao jornal Folha de São Paulo que as informações nas quais ela se baseou para comentar o assunto foram obtidas num texto que teria sido compartilhado por uma amiga.
“Eu postei as informações que li no texto de uma amiga”, contou sem mencionar qualquer coisa sobre a legitimidade das acusações que trazidas à tona.
A desembargadora endossou a narrativa construída pela direita conservadora e facista, que busca desqualificar os que defendem os direitos humanos e denunciam abusos policiais. Marielle foi assassinada com quatro tiros na cabeça.
O governador do Maranhão e ex-juiz federal, Flávio Dino (PCdoB), defendeu o afastamento da desembargadora. “Sobre essa desembargadora do Rio, órgãos de controle têm o dever legal de esclarecer se ela pratica crimes ou se é inimputável. Em ambos os casos, não pode continuar a julgar outras pessoas”, afirmou o governador.
Para Afrânio Silva Jardim, professor associado de Direito Processual Penal da Uerj, Marília cometeu crime de difamação. “Mas tudo vai depender considerações, de quem vai julgar, a respeito do dolo e valorização da prova. O direito não é uma ciência exata, mas em tese pelo que está dito, isso representa uma difamação que o Código Penal define com bastante precisão”, destacou.
Segundo Afrânio, o comentário da desembargadora “decorre de uma postura ideológica”. “As pessoas acabam ficando cegas por conta do radicalismo ideológico inconsequente. O radicalismo nem sempre é ruim. Pegar as coisas pela raiz não é uma ação de ódio nem inconsequente. Isso decorre evidentemente de uma postura ideológica que é predominante no Poder Judiciário e no Ministério Público. É por isso que estamos vendo políticos, pensadores, intelectuais professores e movimentos do campo da esquerda sendo atacados e perseguidos pelo Poder Judiciário. Lula é uma exemplo disso”, afirmou o jurista, que é procurador aposentado do Ministério Público do Rio de Janeiro.

Ideologia e Judiciário
Afrânio salienta que colocar a questão ideológica no processo impede que o juiz tenha neutralidade. “Ele não tem parcialidade no sentido de estar do lado de uma parte, mas perde a neutralidade na medida em que ele, um ser cidadão que é político, tenha uma visão ideológica que acaba, consciente e inconscientemente, refletindo nas decisões”, reforça.
O jurista contou ainda que conhece a desembargadora. “Eu a conheci como defensora pública. Ele chegou a assistir algumas aulas minhas no mestrado da Uerj, mas abandonou”, disse.
Recentemente a magistrada e ex-presidente do Conselho Nacional de Justiça, Eliana Calmon, disse em entrevista que a Lava Jato não vai chegar ao Poder Judiciário e que os advogados dos delatores aconselham seus clientes a poupar juízes na medida em que isso pode prejudicar o exercício da advocacia.
“Por isso que é importante a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), pois individualmente é complicado. Mas ela [OAB] se omite absurda e lamentavelmente”, destaca Afranio.
O jurista salienta ainda que o mesmo silêncio é percebido entre os juízes. “Os magistrados que defendem Sergio Moro, excessos de prisões, condução coercitiva indevida e ilegalidades, num caso desse [da desembargadora] parece que se omitiram”, afirmou.
Do Portal Vermelho

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Se Previdência não for votada em fevereiro, não será mais, diz Maia



Ailton de Freitas/Agência O Globo
“Na minha opinião, se não conseguir voto em fevereiro, não vota mais. Depois, nós vamos ter outras agendas que precisam avançar”, disse o deputado. Segundo Maia, entre as matérias prontas para ser votadas no plenário da Câmara estão a desoneração da folha, os supersalários e o foro privilegiado.
Na manhã de terça-feira, Maia havia dito que prioriza a agenda da reforma "sem nenhum tipo de otimismo, sem nenhum discurso em que a gente diga que esta é uma matéria que estará resolvida em fevereiro de 2018”. Em discurso mais agressivo, Maia disse que está sendo “realista” e que já existe “muito político mentiroso no Brasil”.
“Não fiz discurso pessimista, não posso ir para nenhum ambiente no Brasil e no exterior e mentir. Já tem muito político mentiroso no Brasil, acho que chega. Está na hora de a gente falar a verdade, e a reforma da Previdência não é uma votação simples”, afirmou.O presidente da Câmara voltou a dizer que o governo precisa reorganizar a sua base aliada para alcançar os 308 votos necessários à aprovação da reforma. Por se tratar de proposta de emenda à Constituição, são necessários pelo menos dois terços do total de 513 parlamentares favoráveis à medida, o correspondente a 308 votos, para a matéria ser aprovada pelo plenário, em dois turnos.
“Se está achando que a organização do trabalho está lenta por causa do recesso, e isso é verdade, se eu falar que está resolvido, que já temos os 308 votos, o que está lento pode ficar pior, vai ficar todo mundo parado. Então, a gente tem que falar a verdade, para que, em cima de um fato real, de que não é simples votar a Previdência este ano, a gente possa recompor a maioria, recompor a base de 320 [parlamentares] para ir para o plenário. Falar a verdade e ser realista ajuda mais para uma votação do que ficar criando fantasia e, na hora da votação, perder”, ressaltou.
Fonte: Agência Brasil e JB

domingo, 17 de dezembro de 2017

Davidson Magalhães comemora inauguração do Hospital da Costa do Cacau e destaca sua importância

O deputado federal Davidson Magalhães comemorou, nesta sexta-feira (15), a inauguração do Hospital Costa do Cacau, em Ilhéus. Durante o ato inaugural, o parlamentar parabenizou a população do sul da Bahia e destacou a importância do equipamento instalado pelo Governo do Estado na região. “É uma obra magnífica que vai tratar de alta e média complexidade, como cirurgias cardíacas, ortopédicas e outras. Vai permitir aos mais carentes, um atendimento de excelência”, afirmou.
Davidson destacou o trabalho do governador Rui Costa, que definiu como “uma verdadeira revolução na saúde do nosso estado e todas as suas regiões”. Além desse equipamento, serão constituídos consórcios entre os municípios, com apoio da gestão estadual, para a instalação de policlínicas, que também tratam de média e alta complexidade.
O parlamentar ainda lembrou que, em julho deste ano, o governador e o secretário de Saúde, Fábio Vilas-Boas, conseguiram para Itabuna sete leitos de UTI Neonatal. “Essa também é uma conquista, um elemento fundamental para a saúde das nossas crianças do sul da Bahia. O governo do estado trata as questões de saúde como fundamentais para a população e tem suas prioridades definidas”, declarou.
Hospital Costa do Cacau - Localizado na BR-415, no trecho entre Ilhéus e Itabuna, o equipamento tem investimento de R$ 120 milhões do Governo do Estado e vai atender cerca de 70 municípios. Seu atendimento será por demanda espontânea e referenciada aos usuários do SUS, pela Central de Regulação de Urgências do SAMU Regional Ilhéus-Valença e da Central de Regulação de Leitos Macrorregional.
O hospital vai dispor de serviços de média e alta complexidade ambulatorial, de Serviço de Diagnose e Terapêutica e internação hospitalar, com um total de 225 leitos distribuídos entre as especialidades Clínica Médica, Clínica Cirúrgica e Terapia Intensiva (UTI), esta última com 30 leitos exclusivos. Começa a funcionar já no domingo (17), com a realização de cirurgias eletivas do mutirão promovido pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

BUSCA MERCADO LIVRE